Trabalhos essenciais a realizar nos jardins e relvados na primavera

A primavera é a altura mais atarefada num jardim. Estes tornam-se, nesta época do ano, espaços (mais) atrativos e convidativos a diferentes atividades no exterior. As temperaturas sobem, os dias são maiores, a vontade de usufruir do seu jardim aumenta e a utilização dos relvados é muito mais elevada.

Assim, a manutenção que devemos fazer nos jardins e consequentemente nos relvados, também se altera. Nos jardins, é hora de começar a plantar, podar e preparar os seus canteiros de flores. 

 

 

 

Siga a nossa checklist:

  1. É hora de inspecionar o seu jardim e verificar os danos que o inverno causou nas plantas. Verifique também os elementos construídos como os canteiros, os muros, as vedações, as treliças, etc.
  2. Conserte, repare os elementos construidos e limpe os detritos das plantas dos canteiros do jardim. Isso inclui galhos caídos, folhas emaranhadas e todas as plantas anuais que você não removeu no outono passado.
  3. Avalie o seu solo e fertilize.
  4. É a hora de aparar as árvores de fruto, se não as podou no inverno. Também é um bom momento para podar árvores e arbustos que florescem no verão, para impulsionar um novo crescimento.
  5. Divida as plantas perenes e transplante os arbustos.
     

     

    Nos relvados, no entanto, existem algumas regras base para a manutenção. Quando ressemear? Quando fertilizar? Como regar? É necessário escarificar? Como cortar a relva, qual a frequência e com que altura?

    1. Rega

    A chegada da primavera e aumento de temperaturas não significa regar todos os dias. O relvado deve ser regado de manhã cedo, pois os ventos são mais calmos e reduz-se o aparecimento de doenças.

    A quantidade de água deve ser aquela necessária para que ultrapasse a profundidade das raízes.

    Enquanto houver água no solo disponível para as plantas, não regue novamente. Regue apenas quando a relva necessita. A água em excesso prejudica o desenvolvimento radicular, podendo mesmo apodrecer as raízes.

    Por vezes, é necessário cortar ramos de arbustos ou sebes que cresceram e tapam o ângulo de rega e, nalguns casos, tem mesmo que se reposicionar os aspersores.

    1. Escarificação do relvado

    Este procedimento serve, não só para retirar folhas mortas acumuladas, mas também para reduzir o feltro acumulado em excesso, controlar infestantes e promover a densidade do relvado.

    Solos compactados e rijos devem ser furados para promover a circulação do ar ao nível do solo. Os microorganismos benéficos necessitam de oxigénio para sobreviver.

    1. Sementeira de relvado e colocação de tapetes de relva

    Esta é a época ideal para a sementeira e a colocação de tapetes de relva, as temperaturas estão amenas, os dias são longos e ocasionalmente chove. A emissão de raízes é rápida e o afilhamento também, originando relvados densos com uma boa massa radicular.

    No verão poderá já ser tarde para semear pois o calor pode desidratar as plantinhas jovens, originando a morte do relvado; a melhor opção é pois a colocação de tapete de relva, regando de forma a manter a superfície húmida, o que implica várias regas ligeiras durante o dia.

    1. Fertilização

    Nesta época de grande desenvolvimento dos relvados, a fertilização deve ser feita para eliminar carências nutritivas que as plantas possam ter e para que tenham um crescimento vigoroso e sem risco de aparecimento de doenças.

    1. Cortes

    Na primavera, os relvados residenciais devem ser cortados a cerca de 3,5 cm de altura, para que as plantas se protejam umas às outras, não sofram golpes de calor e não desidratem.

    Note que nunca deve remover mais de 1/3 da altura da folha num único corte, para que a planta não entre em stress e o corte sirva como um estímulo à densidade e enraizamento e não ao aparecimento de doenças.

     

     


    Deixe um comentário

    Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos

    Shopify secure badge Top