Artigos Sobre

Artigos Sobre
Como escolher a relva Curiosidades sobre relva Decoração de exterior Grama brasileira Infos Relva Artificial Infos Relva Natural Instalação do relvado Jardins Manutenção do relvado Plantas Problemas no relvado Relva artificial Relva e animais domésticos Relva natural Sebes naturais Tendências Varandas e terraços

Produtos Mais Vendidos

Grass FOOD (adubo) - grass4you
Grama Brasileira - grass4you

Grama Brasileira

€80.00

Grass FOOD (adubos) - grass4you
Grass REPAIR (mistura de sementes)

A relva Strong (100% Cynodon dactylon x C. transvaliensis) é uma espécie de clima quente, com o nome vulgar de Bermuda.

É uma espécie muito resistente à seca, pouco exigente em manutenção e forma relvados com grande densidade e alta tolerância ao pisoteio, com excelente capacidade de regeneração.

Vivaz e estolonífera, é uma planta de sol, calor e luz. Não suporta as baixas temperaturas, pelo que entra em dormência no Inverno (cor amarelada).

 

Bermuda dormência

 

Na foto acima vemos a STRONG a sair da dormência.

 

 

CARACTERÍSTICAS:

 

  • Nome científico: Cynodon dactylon x Cynodon transvaalensis
  • Nome comum ou vulgar: Bermuda híbrida.
  • Por ser um híbrido de espécies diferentes, é estéril, portanto a única forma de reproduzir é de forma vegetativa e não através de sementes. Apresenta-se como uma relva muito densa, folha fina, proporciona uma cobertura do solo suave e homogénea, de cor verde escura com crescimento agressivo e uma excelente cobertura.
  • É uma relva de estação quente, indicada especialmente para zonas de clima mediterrâneo, amarelece com temperaturas inferiores a 5ºC, mas permanece dormente e suporta até -20ºC.
  • Suporta tráfego intenso e possui excelente capacidade de recuperação em caso de deterioração.
  • Toleram alturas de corte muito baixas.
  • Utilização: áreas residenciais, parques, jardins e campos desportivos.
  • Climas temperados a tropicais, ensolarados, quentes, húmidos a semi secos, ótima adaptação a diferentes ambientes.
  • Não tolera bem a sombra.
  • Solos: todos os tipos de solos, argilosos a arenosos; pH de 5,5 a 8,5.
  • Tolera diferentes tipos de água em termos de qualidade, mesmo as moderadamente salinas.
  • Irrigação: abundante na estação quente, a seca impede o seu crescimento.
  • Tolera verões secos e quentes, as suas necessidades de água podem representar uma economia de 30% em relação às espécies Festuca arundinacea, e 10% em relação a qualquer outra variedade de Cynodon dactylon, com um valor ornamental muito superior.
  • Fertilização: desde 2x por ano (primavera e outono) a 1x por mês fora da dormência, no período de crescimento.
  • É normal perder a cor verde intensa no inverno, principalmente em climas com geadas.
  • Resistente a doenças.

 

É recomendado fazer uma rolagem “forte” após o plantio, mesmo cruzada se houver muitas irregularidades no solo, e depois uma irrigação.

 

 

relva strong

 

  • Controle das ervas daninhas:


    Para o controle de ervas daninhas nos relvados de bermuda em dormência (STRONG), deverá passar com o corta-relvas ou com uma roçadora de fio de modo a não permitir o seu crescimento habitualmente de 2 em 2 semanas.

    No período de dormência, e para controlo de ervas daninhas pode fazer ainda tratamentos fitossanitários com herbicidas homologados em Portugal.

     

    • Corte:


      Em Março/Abril, a sua relva de verão apresenta-se já completamente fora de dormência e com crescimentos já significativos em termos de parte aérea que lhe devem conferir um aspeto pouco homogéneo em termos de parte aérea (a relva apresenta-se aos altos).

      A primeira operação de corte deve ser realizada por forma a uniformizar a parte aérea o mais possível de executado de forma a não eliminar mais de 1/3 da folha, na generalidade do relvado.

      Uma segunda passagem será necessária, na maior parte dos casos para obtermos uma altura de corte máxima de 2 a 2,5 cm de altura de folha.

       

      • Fertilização:


        A operação seguinte deve ser a adubação. Nestas relvas, a utilização de um adubo ternário (ou seja, com os 3 macronutrientes principais o Azoto (N) o Fósforo (P) e o Potássio (K)) deve ser a adubação preferencial, mas é melhor optar por um adubo de libertação rápida (GrassFOOD), já que neste tipo de relva queremos disponibilidade imediata de nutrientes.

        O tipo de relação N:P:K do adubo a utilizar deve no caso destas relvas ser do tipo 1: 2: 1 (ou o mais aproximado possível), a executar em maio/junho na razão de 2,5g de N /m2 (os outros elementos serão fornecidos à relva na razão correspondente ao tipo de equilíbrio recomendado).

        As adubações seguintes deverão ser executadas em cadência mensal com um adubo com uma relação 2:0:1, de libertação.

        Deixe um comentário

        Tenha em consideração que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos.

        Comentários

        • Boa tarde,
          Estou na zona de Idanha a Nova, zona bastante quente e gostaria de saber k tipo de relva me aconselham para um pequeno jardim de aproximadamente 100 me, e qual o preço,por m 2, com transporte incluído.
          Melhores cumprimentos
          Carlos Ribeiro da Cunha