Artigos Sobre

Artigos Sobre
Como escolher a relva Curiosidades sobre relva Decoração de exterior Grama brasileira Infos Relva Artificial Infos Relva Natural Instalação do relvado Jardins Manutenção do relvado Plantas Problemas no relvado Relva artificial Relva e animais domésticos Relva natural Sebes naturais Tendências Varandas e terraços

Produtos Mais Vendidos

Grass FOOD (adubo) - grass4you
Grama Brasileira - grass4you

Grama Brasileira

€80.00

Grass REPAIR (mistura de sementes)
Grass FOOD (adubos) - grass4you

É importante ter alguns cuidados com o seu relvado, principalmente no inverno, de forma a garantir que este resiste aos meses mais frios.

Vamos partilhar os 3 cuidados mais importantes a ter com o seu relvado:

 

 

cuidados a ter com a relva no inverno 

 

 

1. Adubar o seu relvado no Inverno

A relva “bermuda”, a nossa STRONG, e a grama de Santo Agostinho são dos tipos de relva mais comuns nos jardins privados.

Se o seu relvado é composto por alguma destas relvas de verão, o final do outono e o início do inverno é a altura de fazer uma adubação com o objetivo de fornecer os nutrientes necessários para que se exista um armazenamento elevado de substâncias de reserva nos seus caules (rizomas), para que na saída de dormência na próxima primavera as plantas possam responder adequadamente e rapidamente.

 

  • Uma adubação com um adubo de Azoto (N), Fósforo (P) e Potássio (N) de 1:2:1, é o ideal, GrassFOOD. Lembre-se que antes de adubar, deve cortar a relva, e regar, caso não chova, logo após a adubação. Estas relvas devem continuar a cortar-se, embora com muitos menos frequência, enquanto não entrarem em dormência.

 

  • Se já entrou em completamente em dormência, então diga adeus aos cortes até à próxima primavera.  Este período de dormência permite a eliminação de infestantes de uma forma muito mais fácil e menos preocupante, sendo esta uma das grandes vantagens deste tipo de relvas.

 

  • Não deve escarificar este tipo de relvas nesta altura do ano (inverno), mesmo que a altura de manta morta ou feltro (tach) o justifique, isto porque para trazer benefícios ao seu relvado esta operação necessita que a relva esteja em período de crescimento.

 

Caso o seu relvado seja composto por relvas ditas de inverno, as nossas EASY ou PRIME (Festuca sp., Poa pratensis, Lolium perenne), então os cuidados recomendados para o inverno são mais numerosos.

 

  • Se no verão o seu relvado sofreu um desgaste elevado e apresenta zonas peladas ou pouco densas, então sim é necessário escarificar e reparar estas zonas.

 

  • Se as zonas que necessitam de ser intervencionadas estiveram muito disseminadas deve escarificar todo o relvado, ressemeando com metade da dose recomendada para a sementeira as zonas mais preenchidas e a dose completa as zonas menos densas ou peladas.

 

  • Deve ainda fazer uma adubação com adubo ternário do tipo 2:1:2 ou 3:2:3. No caso das escarificações de outono é aconselhada a aplicação de uma fungicida que funcione quer preventivamente quer curativamente, como é o caso da azoxistrobina, para finalizar esta operação de recuperação do seu relvado.

 

 

2. Combater o aparecimento de musgo no seu relvado

 

    Com o inverno finalmente a chegar, um dos problemas dos relvados é o musgo.
    Este aparece e prolifera em zonas que lhe ofereçam condições adequadas, que se prendem principalmente com humidade abundante, zonas sombrias, solo com escassez de nutrientes e/ou pH ácido.

     

    A resolução de qualquer problema, passa sempre pela procura e avaliação da causa, e aqui os problemas de drenagem serão sempre o primeiro fator a despistar. Solos húmidos e encharcados são propícios á proliferação do musgo e associados a zonas de ensombramento agravam o problema.

     

    A manutenção periódica e os corretos planos de fertilização, também são importantes para “conter” o desenvolvimento do musgo, associados a operações de arejamento como a escarificação no início da primavera e final do verão.

     

    Nesta altura, a escarificação, dependendo da dimensão das manchas, poderá ser realizada manualmente com um ancinho ou recorrendo a equipamento escarificador, que através das suas lâminas verticais “rasga” o solo á profundidade pretendida.

     


    Esta operação, realizada com temperaturas baixas e/ou riscos de geada, pode colocar em risco o relvado, face à exposição das raízes, daí nesta altura do ano se falar APENAS em operações localizadas e restritas ás manchas infestadas.

     

    O sulfato de ferro, em estado granulado ou líquido, também se apresenta como uma situação eficaz, necessitando sempre de cuidados acrescidos na aplicação e pós-aplicação, pelo risco de manchas de difícil remoção em paredes e calçadas.

     

    Pode ainda espalhar cal para aumentar o ph do solo e combater a formação de musgo. Teste o ph do seu solo antes, para verificar se esta ação é realmente necessária. Pode fertilizar o seu relvado uma última vez antes do inverno, aproximadamente 6 semanas após espalhar a cal. Desta forma, vai aumentar a proteção contra doenças, ajudar a relva a recuperar mais rapidamente e obter um relvado mais viçoso e saudável.

     

    Um relvado mais denso também diminui a probabilidade de aparecimento de musgo. Se for necessário, pode aplicar cal também no inverno. Pode espalhar a cal mesmo se houver neve no solo. A cal irá penetrar no solo quando a neve derreter.

     

    combater_musgo_relva



    3. Proteger o relvado das geadas

     

    A geada é um fenómeno natural que ocorre em noites de céu limpo e temperaturas baixas em que se atingem valores iguais ou inferiores a 0º C ao nível do solo.

    Quando este fenómeno acontece é recomendado que se faça uma rega muito ligeira por volta das 3 horas ou 4 horas da madrugada para que a água congele e crie uma camada de gelo, cristais brancos, que irão servir de proteção às plantas (geada branca), evitando que a água existente dentro das células das plantas congele e que as células rebentem causando manchas negras nas folhas (necroses), a denominada geada negra.  

    O gelo em cima dos relvados não deve ser pisado, assim de manhã se ainda existir gelo em cima do relvado, esperar que o sol derreta o gelo ou, se houver necessidade de pisar a relva, aplicação de água através de uma rega ligeira (um a dois minutos para que o gelo derreta será suficiente).

    Deixe um comentário

    Tenha em consideração que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos.