Artigos Sobre

Artigos Sobre
Como escolher a relva Curiosidades sobre relva Decoração de exterior Grama brasileira Infos Relva Artificial Infos Relva Natural Instalação do relvado Jardins Manutenção do relvado Plantas Problemas no relvado Relva artificial Relva e animais domésticos Relva natural Sebes naturais Tendências Varandas e terraços

Produtos Mais Vendidos

Grass FOOD (adubo) - grass4you
Grama Brasileira - grass4you

Grama Brasileira

€80.00

Grass REPAIR (mistura de sementes)
Grass FOOD (adubos) - grass4you

Se o objetivo é ter um relvado impecável este verão para todos os churrascos e festas, precisa de garantir que o seu corta relvas está à altura desta tarefa.

 

E apesar de cortar relva possa parecer uma tarefa simples, é provável que esteja  a realizar alguns destes erros que podem prejudicar o seu relvado. Além de evitar esses erros na manutenção do seu relvado, cuidar do seu corta relvas é essencial.

 

Além disso, tornará a sua vida mais fácil e menos trabalhosa, especialmente se quiser listrar o seu relvado ou tornar a sua relva mais verde para um relvado exuberante.

 

Portanto, antes de “por mãos à obra”, estes são os sete erros mais frequentes na utilização do seu corta relvas.

 

 

 1. Comprar o modelo errado

 

Nem todos os corta relvas são iguais, assim adquira um que se adeque ao seu jardim e às suas necessidades. Considere o tipo de relva que tem, o tamanho do seu jardim e o terreno com o qual está a trabalhar.

 

Existem várias alternativas - corta relvas manual, a gás, com bateria, a eletricidade ou um robô.

 

Se tem um terreno pequeno, um manual pode ser uma boa opção, estes tendem a ser mais leves e menos caros do que outros modelos. Este modelo tem diversas lâminas longas que giram em torno de um cilindro e são os ideais para cortes mais curtos. No entanto, a força para o operar é sua.

 

Para áreas maiores um corta relvas elétrico ou a bateria ou ainda a gás é uma melhor opção. Apesar de terem de ser movidos por si, a energia necessária para o corte é fornecida pelo motor.

 

A opção por um robô exige sempre um investimento inicial maior, mas revela-se a ideal para quer ter uma boa manutenção e tem pouca disponibilidade de tempo.

 

Conheça as vantagens e desvantagens dos diferentes modelos de corta relvas disponíveis no mercado:

 

 

 2. Cortar sempre na mesma direção

 

Todos nós temos o nosso tipo de corte característico, mas nunca cortamos a relva sempre na mesma direção.

Os técnicos dizem-nos que isso evita que as folhas de relva se “dobrem”. Idealmente, necessita que as folhas de relva estejam verticais, mas se perceber que a sua relva está demasiado alta e a começar a se curvar, passe um ancinho levemente no seu relvado antes de o cortar.

 

 

 3. Cortar com lâminas cegas

 

Lâminas cegas ou pouco afiadas apenas rasgam e puxam a relva em vez de fazer um corte limpo e uniforme. Isso não apenas causará danos a longo prazo à relva, mas também fará com que seu jardim pareça pouco cuidado. Geralmente, é aconselhável afiar as suas lâminas duas vezes por temporada ou após 25 horas de uso para mantê-las na sua melhor forma.

 

 

4. Cortar relva molhada ou húmida

 

Mesmo que o seu relvado precise desesperadamente de um corte, não o faça se a relva estiver molhada ou com humidade. A relva molhada simplesmente não se corta tão bem quanto quando está seca, e é mais provável que esgace as folhas e isso pode deixá-las vulneráveis à entrada de fungos. Além disso, alguns cortes ficarão viscosos e podem colar-se nas lâminas, o que afetará o seu desempenho geral. Agendar esta tarefa para um dia seco tornará mais fácil cortar e manter um relvado saudável.

 

 

5. Cortar mais relva do que deveria

 

Muitas vezes pensamos que quanto mais baixa for a relva, mais tempo levará a crescer. No entanto, isso pode tornar os sistemas radiculares muito superficiais e fracos, impedindo que absorvam os nutrientes essenciais de que a relva precisa.

A regra é nunca corte mais de um terço da altura.

No entanto, a altura de corte, e mesmo a frequência do mesmo, depende do tipo de relva.

As misturas com Festuca arundinácea, Poa pratensis, Lolium perenne, devem ter cortes entre 3 - 3,5cm (é importante manter o valor máximo durante o Inverno para evitar os danos provocados pelas geadas). Nas bermudas, os cortes podem ser mais baixos, entre 1,5 - 2cm.

 

 

6. Não remover as aparas de relva

 

É inevitável encontrar aparas de relva espalhadas após um corte, mas os grandes montes de aparas devem ser removidos no imediato. Embora isso possa não ser um erro na utilização do corta relvas, se as aparas não forem removidas poderão afetar o desempenho do seu corta relvas. Além disso, as aparas deixadas no relvado bloqueiam a luz do sol na relva, o que fará com que as folhas fiquem amarelas. Depois de secas, basta remover as aparas com um ancinho de qualidade para obter um relvado impecável.

 

 

7. Nunca limpar o corta relvas

 

Tal como o seu relvado, o seu corta relvas também precisa de manutenção. Quanto terminar de cortar a relva, trate de limpar o corta-relva e claro, siga as instruções do fabricante quanto à substituição de filtros, à qualidade dos óleos e gasolinas.

Quanto terminar de cortar a relva, trate de limpar o corta-relva e claro, siga as instruções do fabricante quanto a substituição de filtros, à qualidade dos óleos e gasolinas.

Deixe um comentário

Tenha em consideração que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos.